quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Muita sombra com a Árvore Samambaia.

Os termômetros, até na região Sudeste do País, estão passando de 40 graus em alguns locais. Nada mais justo e inteligente que procuremos saídas ecológicas e sustentáveis para esse terrível problema que, infelizmente, causamos ao nosso Planeta.
Que tal plantar uma árvore e prover o seu ambiente, local, região, com belas sombras, amenizando assim em até 40% os efeitos dessa alta temperatura e raios UV prejudiciais à família?
A árvore Samambaia que não é atrativa pelas flores e sim pela belíssima folhagem perene. Sua copa cresce de forma compacta e bem uniforme.



 
Nome científico: Filicium decipiens
Nome popular: Árvore samambaia
Árvore de porte grande (10-12 m) da familia das sapindáceas e de folhagem perene. É bastante decorativa e de crescimento compacto, o formato de suas folhas lembra a folhagem das samambaias. É apreciada mais pela beleza das folhas, e em alguns locais do Brasil é usada na arborização urbana apesar de ser pouco conhecida.

Origem: Índia, Ceilão.
Porte: de 8 a 12 m.
Florescimento: Julho – Agosto.
Flores: Inflorescências creme-amareladas, inexpressivas.
Frutos: Pequenos, globosos, de 0,5 cm de diâmetro: poucos e muito raros.
Folhas: Perenes, compostas de 7-9 pares de folíolos
Copa: Perfeitamente globosa, baixa e bem densa.
Ambiente: Sol pleno
Clima: Aprecia clima quente, podendo ser cultivada nos sub-trópicos. Não gosta de altitudes.
Solo: Areno-argiloso. Responde bem a
Crescimento: Lento. Responde melhor com adição de esterco na cova e adubações 10:10:10 por cobertura
Podas: De condução e levantamento da copa no início do desenvolvimento.
Reprodução: Por sementes.

Onde encontrar: Dierberger Limeira-SP


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Um Natal Natural!

Na maioria dos casos, os enfeites de Natal são feitos a partir de objetos e materiais industrializados.

No entanto, existe a possibilidade de se fazer enfeites, árvores de Natal, bolas, adornos e tudo mais com plantas ornamentais e objetos da natureza, agregando assim muito mais valor à essa data, nos remetendo ao verdadeiro espírito natalino.
 
Bola de vidro para enfeitar Árvore de Natal com um verdadeiro jardim dentro. Foto do Blog DigsDigs.
A ideia é inventar e tentar ser o mais natural possível, por exemplo utilizando sempre materiais e objetos 100% recicláveis e ecologicamente corretos.

Linda Guirlanda feita com plantas naturais. Foto do Blog DigsDigs.
 Na Fênix Plantas e Jardins você encontra de tudo para montar os enfeites de Natal e Ano novo, bem como deixar a mesa da ceia muito mais alegre, original e bonita! Nos faça uma visita, olha onde estamos localizados.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Espada de São Jorge: Proteção para 2013.

Nome Científico: Sansevieria trifasciata
Nomes Populares: Espada-de-são-jorge, Língua-de-sogra, Rabo-de-lagarto, Sansevéria
Categoria: Folhagens, Forrações à Meia Sombra
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

Utilizada ornamentalmente.
Herbácea de resistência extrema, excelente para jardins de baixa manutenção. No entanto seu crescimento é um pouco lento. Suas folhas são muito ornamentais e podem se apresentar de coloração verde acinzentada e variegadas, com margens de coloração branco-amareladas, todas com estriações de um tonalidade mais escura. As flores brancas não tem importância ornamental. É uma planta de utilização bastante tradicional e a cultura popular recomenda como excelente protetor espiritual.
 
Florescência da
Espada-de-São-Jorge
Além do seu uso ornamental, as espadas-de-são-jorge são também conhecidas como plantas de proteção contra o mau-olhado, devendo ser colocadas próximo à entrada das casas.

Nos cultos afro-brasileiros, ela é também chamada de espada-de-ogum (quando tem coloração verde) ou espada-de-oxóssi (bicolor, com bordas amarelas). Esta folha sagrada é uma folha gún (excitante, "quente"), sempre presente nos rituais de sasanha e na realização de águas sagradas denominada de abô.

Devem ser cultivadas à pleno sol ou meia-sombra, em vasos ou em maciços e bordaduras. Resiste tanto à estiagem, como ao frio e ao calor, além de ser pouco exigente quanto à fertilidade. Multiplica-se por divisão de touceiras, formando mudas completas com folhas, rizoma e raízes.

...

Na Fênix Plantas e Jardins, você encontrará muitas variedades de Sansivéria, do tipo "Lança" e "Lança trançada", como nas fotos abaixo:

 
Sansevieria cilindryca
Sansevieria cilindryca trançada


 

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

As Rosas e suas simbologias...

 
A rosa (Rosa spp) é uma das flores mais populares no mundo, cultivada desde a Antiguidade. A primeira rosa cresceu nos jardins asiáticos há 5 000 anos. Na sua forma selvagem, a flor é ainda mais antiga. Fósseis dessas rosas datam de há 35 milhões de anos.
 
 
Cientificamente, as rosas pertencem à família Rosaceae e ao gênero Rosa L., com mais de 100 espécies, e milhares de variedades, híbridos e cultivares. São arbustos ou trepadeiras, providos de acúleos. As folhas são simples, partidas em 5 ou 7 lóbulos de bordos denteados. As flores, na maior parte das vezes, são solitárias. Apresentam originalmente 5 pétalas, muitos estames e um ovário ínfero. Os frutos são pequenos, normalmente vermelhos, algumas vezes comestíveis.
 
 
Atualmente, as rosas cultivadas estão disponíveis em uma variedade imensa de formas, tanto no aspecto vegetativo como no aspecto floral. As flores, particularmente, sofreram modificações através de cruzamentos realizados ao longo dos séculos para que adquirissem suas características mais conhecidas: muitas pétalas, forte aroma e cores das mais variadas.
 
 
 
Simbologia das cores das Rosas:
 
Rosas Amarelas: amor por alguém que está a morrer ou um amor platónico... ou... amizade.
Rosas Azuis: verdadeiro amor eterno, raro, forte, que nunca se abala ou descolore, em algumas culturas ela tradicionalmente significa mistério ou a busca, ou o alcance do impossível.
Rosas Brancas: reverência, segredo, inocência, pureza e paz.
Rosas Champanhe: admiração, simpatia.
Rosas Coloridas em tons claros: amizade e solidariedade.
Rosas Coloridas, predominando as vermelhas: amor, paixão e felicidade.
Rosas Cor-de-rosa: gratidão, agradecimento, o feminino (muitas vezes aparece simbolizando o útero em algumas culturas, como o gineceu está para a cultura ocidental - ver cor-de-rosa).
Rosas Vermelhas: paixão, amor, respeito, adoração.
Rosas Vermelhas com Amarelas: felicidade.
Rosas Vermelhas com Brancas: harmonia, unidade.
Rosas Laranjas: entusiasmo e desejo.
Rosas Vermelhas bordeaux: beleza inconsciente.
Rosas Verdes: esperança, descanso da juventude e equilíbrio.
Rosas Violetas: calma, auto-controle, dignidade e aristocracia.
Rosas Pretas: separação, tristeza e morte.
Rosas Cinzentas: desconsolo, aborrecimento e velhice.
...


Em nossa loja você encontrará rosas em mudas e vasos lindíssimos, como das fotos, que foram tiradas aqui mesmo. Venha nos fazer uma visita e confira lindas rosas e mais centenas de espécies de flores e folhagens.

 

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Árvore de Natal - História e origem.

Tuia holandesa.
Um de nossos principais produtos nesta época do ano, com certeza são as Tuias e Pinheiros, que neste contexto são chamados de "Árvores de Natal". Aqui você pode encontrar desde as pequenas Tuias holandesas, até os grandes Pinheiros, que podem chegar a 2,5 mts.

Vamos conhecer um pouco mais sobre esse símbolo de Natal, sua história e origem, segundo o site Wikipedia;

A árvore de Natal é uma das mais populares tradições associadas com a celebração do Natal. É normalmente uma árvore conífera de folhas perenes, ou uma árvore artificial. É costume enfeitá-la com bolas coloridas e outros adornos natalinos.

Civilizações antigas que habitaram os continentes europeu e asiático no terceiro milênio antes de Cristo já consideravam as árvores como um símbolo divino. Eles as cultuavam e realizavam festivais em seu favor. Essas crenças ligavam as árvores a entidades mitológicas. Sua projeção vertical desde as raízes fincadas no solo, marcava a simbólica aliança entre os céus e a mãe terra.

Entre os egípcios, o cedro se associava a Osíris. Os gregos ligavam o loureiro a Apolo, o abeto a Átis, a azinheira a Zeus. Os germânicos colocavam presente para as crianças sob o carvalho sagrado de Odin.

Nas vésperas do solstício de inverno, os povos pagãos da região dos países bálticos cortavam pinheiros, levavam para seus lares e os enfeitavam de forma muito semelhante ao que faz nas atuais árvores de Natal. Essa tradição passou aos povos Germânicos. A primeira árvore de Natal foi decorada em Riga, na Letónia, em 1510.

Árvore de Natal oficial da Casa Branca, com mais de 5 metros de altura.
No início do século XVIII, o monge beneditino São Bonifácio tentou acabar com essa crença pagã que havia na Turíngia, para onde fora como missionário. Com um machado cortou um pinheiro sagrado que os locais adoravam no alto de um monte. Como teve insucesso na erradicação da crença, decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade e suas folhas resistentes e perenes à eternidade de Jesus. Nascia aí a Árvore de Natal.

Há outras versões, porém, a moderna árvore de natal teria realmente surgido na Alemanha entre os século XVI e XVIII. Não se sabe exatamente em qual cidade ela tenha surgido. Durante o século XIX a prática foi levada para outros países europeus e para os Estados Unidos. Apenas no século XX essa tradição chegou à América Latina.

Atualmente essa tradição é comum a católicos, protestantes e ortodoxos.
...

Venha nos fazer uma visita e veja qual tipo de árvore mais combina com o seu ambiente!

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Conhecendo as Orquídeas: Phalaenopsis.

Phalænopsis

Phalænopsis (em português: Falenopse) são orquídeas asiáticas não comuns como espécies puras em coleções, sendo a maioria das mais conhecidas híbridos gerados de semente, e depois reproduzidas do caule.


O nome do gênero (Phal.) procede da latinização das palavras gregas:
φάλαινα (phálaina), que significa "mariposa"; e ωΨις (opsis) que significa "parecido", aludindo à forma das flores de algumas espécies que se assemelham a mariposas em voo.

Nomes comuns: Orquídea borboleta, Orquídea mariposa, Orquídea boca.

Cerca de 65 espécies perenes, epífitas ou litófitas, originárias das Filipinas, Sudeste asiático e outras regiões. Portanto clima quente, variando de 18C a 35C; um clima estremamente úmido, +- 2000mm anuais.


Descrição

Há dois tipos principais: o padrão e o miniatura. O primeiro pode chegar a 1 m de altura, enquanto as miniaturas ficam em torno de 30 cm. Ambos têm a estrutura bem semelhante, diferindo apenas no tamanho. As folhas são largas e brilhosas, nascendo no centro da planta. A queda das folhas mais velhas permite que a planta permaneça com quatro a cinco folhas em qualquer época. As flores do tipo padrão têm cerca de 8 cm de largura e hastes bem longas, que podem ter até 60 cm. As miniaturas têm flores menores e desabrocham em hastes mais curtas. Suas cores variam do branco ao rosa e amarelo, muitas vezes riscadas ou manchadas com atraentes marcações. As pétalas são arredondadas. Pode florir até três vezes por ano, e a época varia de acordo com a região geográfica.

Adaptam-se em estufas quentes, precisam de muita sombra. Deve-se regar a cada 7 ou 15 dias e adubar quando estiver sem flores. A folhagem não deve ser borrifada, pois é propensa ao acúmulo de água na base das folhas, o que pode gerar fungos que causam doenças e podem até mesmo matar a planta. Na época da floração as hastes mais altas precisam ser escoradas, pois assim os ramos velhos dão origem a novos.

Fonte: Wikipédia.

Na Fênix Plantas e Jardins você encontra muitas variedades de Phalaenopsis e outras Orquídeas.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Antúrio - Agora são muito coloridos!


Nome Científico: Anthurium andraeanum
Nomes Populares: Antúrio,
Categoria: Flores Perenes, Forrações à Meia Sombra
Luminosidade: Luz Difusa, Meia Sombra
Ciclo de Vida: Perene

O antúrio é uma planta tradicional no paisagismo. Fez parte de uma moda antiga, onde se via muitas destas plantas em vasos muito antigos, geralmente na casa de nossas avós. Teve seu brilho completamente renovado recentemente com o lançamento de novas cultivares e cores. Utilizada há muito tempo em vasos para decorar interiores, hoje em dia pode compor maciços e bordaduras em jardins externos também. É um curinga para os cantinhos menos iluminados do jardim, onde outras flores jamais iriam prosperar. O melhoramento genético proporcionou diversas variedades, com portes diferentes e flores de coloração vermelha, rosa, salmão, chocolate, verde, laranjanegra e branca.

Exigente quanto à umidade, deve ser plantada sempre à meia-sombra, em substratos ricos em matéria orgânica, como a fibra de côco misturado com terra vegetal, com regas freqüentes e adubação adequada para florescer. Apesar destes cuidados, é uma planta rústica e de baixa manutenção. O replantio a cada 3 ou 4 anos revigora as plantas velhas. Multiplica-se por estaquia.


Aqui na Fênix Plantas e Jardins você irá encontrar vários tipos desta linda planta, oriundas dos melhores produtores de nosso país. Venha conferir!

 

sábado, 17 de novembro de 2012

Cica: Da época dos dinossauros...

Nome Científico: Cycas revoluta
Nomes Populares: Cica, Palmeira-sagu, Sagu
Família: Cicadaceae
Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Bonsai, Plantas Esculturais
Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Indonésia, Japão
Altura: 3.0 a 3.6 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene


Vedete dos jardins contemporâneos e tropicais, a cica se parece com uma pequena palmeira. Suas folhas são longas, rígidas e brilhantes, compostos por folíolos pontiagudos. É uma planta dióica, de origem pré-histórica, com crescimento bastante lento, o que a torna muito valorizada no mercado. Quanto mais velho o exemplar, maior valor alcança. Os ovários, que ficam protegidos no topo da planta fêmea durante a floração, são muito difíceis de serem polinizados, desta forma, praticamente 100% dos frutos obtidos no jardim residencial são estéreis. As plantas do sexo masculino são raras em cultivo. No paisagismo, vai bem como planta isolada e em conjuntos no jardim ou em vasos.

Deve ser cultivada a pleno sol ou meia-sombra, em terra de jardim enriquecida com composto orgânico e areia, formando uma mistura leve e permeável. As regas devem ser regulares. É muito rústica, mas pode ficar suscetível a cochonilhas em locais de pouca luminosidade. Multiplica-se por separação das mudas formadas entorno da planta mãe. A multiplicação por sementes é muito difícil e só é interessante comercialmente, pois exige tecnologia e pessoal especializado.


 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Buxus - Planta de sol pleno, pra aguentar no verão!

Buxus (Buxus sempervirens)
Nome Científico: Buxus sempervirens
Nomes Populares: Buxinho, Árvore-da-caixa, Buxo
Família: Buxaceae
Categoria: Arbustos, Bonsai, Cercas Vivas
Clima: Mediterrâneo, Subtropical, Temperado, Tropical
Origem: Ásia, Europa, Mediterrâneo
Altura: 1.8 a 2.4 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

O buxinho é uma planta arbusto e lenhosa, muito utilizada para a topiaria (Dar forma à planta através de podas com tesoura ou máquina.), por suas inúmeras qualidades. Sua folhagem verde escura é resistente e regenera-se bem das podas semestrais. Se você quer um autêntico jardim francês não pode dispensar o buxinho em cercas vivas, bordaduras e topiarias, porém deve ter paciência, pois seu crescimento é relativamente lento se comparado às outros arbustos. Com o tempo e boas podas de formação, torna-se bastante compacto e denso.

Pode ser utilizado como cerca-viva.
Tem grande durabilidade e rusticidade com os cuidados básicos, exigindo pouca manutenção. Perfeito para compor desenhos, cercas e esculturas vivas, também é muito utilizado para Bonsai. Adapta-se muito bem ao cultivo em vasos.

Devem ser sempre cultivados a pleno sol ou meia sombra, com solo fértil e regas regulares. Tolerante ao frio. Não tolera sombreamento por longo período, apresentando ramos mortos com áreas amareladas. Multiplica-se por estaquia.

...

Na Fênix Plantas e Jardins você encontra Buxinhos de todos os tamanhos e todos os preços, venha conferir!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Kaisuka: Outra planta que pode alegrar o seu Natal.

Kaisuka (Juniperus chinensis torulosa)
Nomes Populares: Kaizuka, Caiazuka, Caizuca, Cipreste-kaizuka, Junípero-chinês, Kaiazuca
Família: Cupressaceae
Categoria: Arbustos, Árvores, Árvores Ornamentais, Cercas Vivas
Clima: Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado
Origem: Ásia, China, Japão
Altura: 3.0 a 3.6 metros, 3.6 a 4.7 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

O Kaizuka é uma pequena árvore de forma cônica ou colunar e de aspecto escultural e muito decorativo. Seus ramos são ramificados e compactos, com folhas pequenas e comprimidas, que lhe conferem uma textura bastante densa. Este cipreste ainda tem uma particularidade que encanta, suas formas espiraladas e retorcidas lembram um suspiro de confeitaria, caprichosamente esculpido. As folhas jovens, das pontas dos ramos, são alongadas, em forma de agulha e as adultas são escamosas, todas de coloração verde escura e brilhante.

Este cipreste aristocrático e charmoso é apropriado para jardins de estilo europeu e oriental. Suas formas esculturais são muito valorizadas quando plantado isolado e livre de podas, podendo alcançar 5 metros. Também presta-se para o cultivo em renques, formando belas cercas-vivas topiadas ou não, com excelente capacidade de isolar o jardim do pó e do ruído das ruas. De crescimento lento a moderado, adapta-se muito bem à vasos, inclusive é bastante utilizado na arte do bonsai.

Devem ser cultivados sob pleno sol em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. É tolerante à salinidade e após estabelecido torna-se tolerante a seca. Originário de clima temperado, o kaizuka no entanto adapta-se muito bem ao clima subtropical ou mediterrâneo e é capaz de tolerar o clima tropical, desde que fique longe de locais úmidos. Multiplica-se por estacas das pontas dos ramos.
 
...
 
Na Fênix Plantas e Jardins você encontra a maior variedade de árvores e plantas para enfeitar o seu Natal da forma mais natural possível, ajudando assim o meio-ambiente e deixando este período do ano ainda mais bonito e saudável... Nos faça uma visita, é muito mais perto que imagina, veja nossa localização: http://fenixartdecor.blogspot.com.br/p/localizacao.html

 

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Tuia Holandesa; Uma boa opção para a decoração de Natal.

Tuia holandesa (Cupressus macrocarpa)
Também conhecida como Tuia-limão, é uma espécie conífera, assim como os pinheiros tradicionalmente usados no Natal, é uma boa opção de decoração e ainda apresenta algumas vantagens sobre os modelos tradicionais: por ser uma planta cultivada em vaso desde o início, pode ser transplantada em local definitivo, como jardins e quintais, conservando a aparência e o aroma característico durante toda a temporada natalina.

Esta planta é comercializada em vários tamanhos, desde 40 cm até quatro metros de altura. Dependendo do porte, pode ser usada como planta decorativa em ambientes internos ou externos, por toda a vida.

A espécie comercializada é da família das Cupressáceas, que emana um suave aroma de limão ao ser tocada e pode apresentar diversos formatos: piramidal, bola e coração (obtidos com técnicas de poda e condução manual).

Na fase inicial, chamada de enraizamento da planta, dura cerca de seis meses. Em dois anos, atinge a altura de 40 cm e, em três anos, chega a 1,5 metro. A partir daí, cresce aproximadamente um metro a cada ano.
Quando atinge cerca de 2 metros deve ser transplantada, para que as raízes tenham mais espaço. O local ideal é à meia-sombra, onde receba cerca de duas horas de sol direto por dia. Em locais de clima ameno, pode ficar sob luz solar direta em tempo integral. O cultivo em vaso exige regas diárias e locais bem iluminados.


Por ocasião do plantio em jardins, é aconselhável fazer uma cova profunda, com cerca de 50 cm de profundidade e 50 cm de largura. Antes do plantio, recomenda-se encharcar a cova, para que suas paredes fiquem bem molhadas e facilitem a acomodação da raiz.

A mistura de solo ideal deve conter terra vegetal e húmus de minhoca. Além disso, é bom lembrar que o desenvolvimento da planta depende de uma boa irrigação.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Violeta - Singela, modesta e linda!!!

As violetas são flores lindas e singelas, ideal para serem oferecidas a quem se gosta, pois demonstram um amor modesto e leal.
 


Acredita-se que sua origem tenha-se dado na Europa e data-se de centenas e centenas de anos, pois se sabe que esta flor era a preferida dos gregos, representando o amor entre Zeus e sua sacerdotisa na mitologia grega. A violeta também era muito admirada entre os romanos, pois diz a história que o imperador Heliogábalo que governou entre os anos de 218 e 222, mandava que lhe fossem preparados banhos com essas flores, que fosse utilizada na decoração de seu palácio, além de apreciar um manjar que levava entre seus ingredientes pétalas de violetas.


A violeta possui muitas variações e a mais cultivada no Brasil é a violeta africana. A violeta africana foi descoberta no ano de 1928 por um pesquisador e barão alemão que se chamava Walter Von Saint Paul.

A violeta é uma flor que não exige muitos cuidados, mas suas raízes são sensíveis por isso não se deve deixar à terra de seu vaso muito encharcada. Outra dica importante é a de que jamais se deve molhar suas folhas e sua copa, pois ela pode apodrecer com a umidade. A violeta se adapta melhor em ambientes internos, gosta de luz, mas não deve ficar diretamente exposta ao sol. Embora a violeta seja muito cultivada em vasinhos plásticos, o mais indicado é que ela seja plantada em vasos de barro com alguns furos em sua base para drenagem do excesso de água.

A grande vantagem desta planta é que ela ocupa pouco espaço, deixando o ambiente alegre e colorido com poucos cuidados.


Pode parecer estranho pra você, mas, a violeta além de ter a linda função de deixar o ambiente mais aconchegante pode ser usado em pratos culinários, o mais comum é que suas flores sejam usadas em saladas e em decorações de bolos. Suas pétalas possuem um sabor adocicado e perfumado, podendo ser consumidas cristalizadas em açúcar ou frescas.


Outra curiosidade a respeito desta planta é sua propriedade medicinal. A violeta é bastante explorada na medicina homeopática sendo indicada no tratamento do reumatismo, da tosse, da dor de ouvido e outros, sendo também fonte de anti-inflamatório A planta ainda é bastante utilizada na fabricação de perfumes, talcos, desodorantes e sabonetes. Como se pode ver a violeta é uma flor surpreendente e cheia de curiosidades!

Fonte: http://www.flores-online.com
... ... ...

Aqui na Fênix Plantas e Jardins você encontra muitas variedades de Violetas, várias cores para sua escolha e sempre plantas dos melhores produtores do país, nossas violetas são garantidas e custam a partir de R$ 4,00 o pote. Venha conferir!

 

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Gloriosa. Linda trepadeira que pode dar muito charme ao seu ambiente.




Nome Científico: Gloriosa rothschildiana
Nomes Populares: Gloriosa, Garras-de-tigre, Lírio-trepadeira
Família: Colchicaceae
Categoria: Bulbosas, Trepadeiras
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Origem: África
Altura: 1.2 a 1.8 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

A gloriosa é uma trepadeira muito singular, de textura herbácea, raízes tuberosas e flores muito decorativas. Suas folhas são lanceoladas, longas e brilhantes e apresentam uma modificação curiosa na extremidade, que torna-se uma gavinha, permitindo sua fixação e ascensão sobre os suportes. Seu crescimento é muito veloz nos meses quentes e pode atingir até 2 metros de altura. As flores são o principal encanto desta planta diferente. Elas são solitárias, com longos estames e pétalas recurvadas, como se estivessem invertidas. De bordos ondulados, as pétalas são amarelas na base e vermelhas nas extremidades. Ocorrem ainda variedades de flores amarelas e de porte anão.

É uma trepadeira ótima para o cultivo anual, decorando suportes leves, como treliças delicadas, grades e cercas. Seu crescimento vigoroso permite a obtenção de florações sucessivas na mesma estação. No inverno a planta entra em repouso e perde a folhagem. Neste período as raízes tuberosas podem ser removidas e separadas para o replantio na primavera. Caprichosa, esta trepadeira gosta de ser replantada em locais diferentes, brotando com mais vigor. Adapta-se ao plantio em vasos e floreiras. É muito utilizada também como flor-de-corte.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo bem drenável, leve e enriquecido com matéria orgânica, regado regularmente. Aprecia o clima ameno, mas vegeta em uma ampla faixa climática, desde países de clima temperado até tropical. Em locais de inverno rigoroso deve-se remover suas raízes do solo, e armazená-la, protegendo-a das baixas temperaturas. Não tolera estiagem. Não necessita podas. Multiplica-se por sementes e principalmente pela separação das raízes tuberosas.

Fonte: Jardineiro.net

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

.Tagetes. - O Cravo-de-defunto. (FINADOS)

Na véspera do feriado de Finados, fomos buscar uma planta cuja a flor, é chamada também de Flor-dos-mortos, também é muito utilizada para decoração fúnebre neste período.
 

 
Nome científico:
Tagetes pátula.
Família:
Asteraceae.
Nomes populares:
tagetes-anão, flor-de-estudante, cravo-de-defunto, cravo-francês.

Etimologia:
seu nome deriva da junção das palavras indígenas cempoal (vinte) e xóchitl (flor), ou seja, vinte flores.

Origem:
América do Norte.
 
Características gerais:
planta herbácea anual, apresenta porte ereto, caule curto e ramificado, com altura de 20 a 30 cm de altura. As flores ocorrem em capítulos densos, simples ou dobrados, em tonalidades variáveis de amarelo, laranja e vermelho alaranjado, sendo bastante abundantes no verão. As folhas têm um aroma característico e podem ser cultivadas com outras plantas mais delicadas, pois o tagetes apresenta a propriedade de afastar algumas pragas, principalmente insetos.
Condições de cultivo:
devem ser cultivados a pleno sol, em solo composto de terra de jardim e terra vegetal, recebendo regas regulares. Desenvolve-se bem em regiões de altitude elevada, tolerando bem o frio.
Propagação:
multiplica-se por sementes, ocorrendo também a germinação de sementes que caem no solo.


Usos:
na composição de maciços, bordaduras, isolado ou em conjunto com outras flores e folhagens.

Curiosidades:
usada na medicina para acne, bronquite, cólicas uterinas, espasmos, furúnculo, dores reumáticas, melhorar o apetite, prisão de ventre, resfriados, reumatismo, sudorífico, tosse, vermes. Apresenta propriedade analgésica, antiespasmódica, anti-reumática, antitussígena, imunoestimulante, laxativa, purgativa, sudorífera, vermífuga. As partes utilizadas são as flores e folhas.

Possui a capacidade de eliminar nematóides do solo e seu plantio próximo a hortas e outras espécies ornamentais auxilia repelindo formigas e outros insetos.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Uma espécie carnívora muito interessante e exótica.


Nome científico: Drosera Binata spp.
Nome comum: Drosera Binata
Família: Droseraceae.
Origem: Estas espécies se encentram repartidas por todo mundo, mas em maior numero no Brasil e na Austrália..

Todas as espécies tem folhas com tentáculos na parte superior. Estes tentáculos produzem uma espécie de liquido pegajoso, de forma que há uma gota pegajosa em final de cada tentáculo. Esta espécie não tem movimentos em seus tentáculos e nem nas folhas, mas com certeza sua beleza é única. Esta espécie se destaca pela facilidade do seu cultivo e pela rapidez do seu crescimento. Com certeza ela se desenvolve rapidamente quando é bem cuidada. Como na maioria das carnívoras as presas são atraídas por um odor e quando encostam no tentáculo ficam presas e são digeridas lá mesmo. Esta espécie também costuma dar muitas flores e sementes.

Luz: As Droseras gostam de muita luz do sol, mas o segredo é deixa-las em um lugar úmido onde não bata vento. Assim a planta cada vez mais fica forte e com mais gotas em suas armadilhas. Proteja esta planta do sol muito forte.

Rega: Deve-se deixar sempre o substrato bem úmido.

sábado, 27 de outubro de 2012

Dendrobium agregatum; Grandiosa em sua simplicidade!


Diferente da maioria das espécies de Orquídeas, a Dendrobium agregatum tem cachos de flores pendentes, formando uma linda cascata!

Nome: Dendrobium lindleyi Sinonímia: Dendrobium aggregatum, Dendrobium lindleyi var. majus, Dendrobium alboviride var. majus, Callista agregata
Origem: Planta nativa do Sudeste da Ásia, ou seja, China, Índia, Tailândia e Vietnam, incluindo Himalaia, Birmânia, Indochina.
Hábitat: Floresta Tropical, planta epífita Tamanho da Planta: NBS - flor em um ano
Produção: Sementeira Clima: Intermediário Luminosidade: Média, 50% de luz
Inflorescência: Cacho pendente, muitas flores Tamanho das Flores: Média – 3 a 6 cm
Época de Floração: Inverno
Odor: Inodoro
Duração da Flor: 10 a 20 dias

Cultivo: São plantas bulbosas com inflorescência pendente, por isso gostam de ficar penduradas. Crescem melhor em caixetas de madeira, com pedaços de cascas de árvores como substrato, indo muito bem em placas de cortiça ou de xaxim. Também podem ser cultivadas em vasos de barro ou de plástico, neste caso com substrato de rápida secagem. Observar na adubação a metade do que é indicado na embalagem. Diminuir a rega durante o inverno, estação na qual a adubação deve ser suprimida. A propagação pode ser feita pela divisão da planta, com pelo menos 4 bulbos em cada pedaço.



Quando você estiver aqui na Fênix Plantas e Jardins, procure por esta linda planta, que surpreende pela sua simplicidade, beleza e luminosidade.

sábado, 20 de outubro de 2012

Bromélia imperial Florida!


Linda Bromélia imperial com sua exuberante flor, isso indica que a planta está vivendo a fase final de seus tempos.

As brácteas saem de dentro das pétalas de uma forma muito interessante.

A bromélia-imperial é uma planta herbácea, rupícola, de grandes proporções e elevado valor ornamental. Ela é acaule, com folhas longas e largas, coriáceas, com superfície cerosa, dispostas em roseta e formando um “vaso” no centro da planta, onde acumula água e nutrientes. Pode atingir cerca de 1,5 metros de diâmetro quando adulta. Suas raízes são fortes, fibrosas e se prestam não somente para nutrição da planta, mas principalmente para sua forte fixação sobre o substrato. Essa característica permite que esta bromélia se fixe em paredões rochosos verticais.

De crescimento moderado, ela pode levar 10 anos para atingir o porte adulto e florescer. Sua inflorescência é do tipo espiga e pode medir 3,5 metros de altura. Ela apresenta brácteas de cor avermelhada e flores delicadas, com estames longos, e cor branco-creme ou amarelas, muito atrativas para abelhas e beija-flores. Ocorrem variedades de folhagem vermelha, arroxeada e verde, além de tonalidades intermediárias dessas cores. Após a floração, assim como ocorre com outras bromélias, a planta morre. Mas geralmente elas deixam brotos de novas bromélias na base.

Esta planta espetacular é cada vez mais popular no paisagismo tropical e contemporâneo. Sua forma escultural, seu porte e cores vibrantes a tornam um elemento de impacto no jardim, seja utilizada isolada ou em grupos. Sua beleza tropical se destaca entre as rochas e em conjunto com outras espécies de bromélias. Também pode ser plantada em vasos. Esta espécie está ameaçada de extinção, jamais compre mudas que foram retiradas do ambiente natural, prefira plantas oriundas de viveiristas certificados pelo IBAMA.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em substrato leve e bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Planta tipicamente tropical, a bromélia-imperial aprecia a umidade e o calor, mas, por ser originária de regiões serranas do Rio de Janeiro, é capaz de tolerar geadas leves. É uma planta rústica, resistente ao vento e à maioria das pragas e doenças. Multiplica-se por sementes e por separação das mudas formadas entorno da planta mãe.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Novidades para seu feriado de 12/10/12.

Rosas são sempre lindas, muito coloridas e extremamente perfumadas, perfeitas portanto!

Todas as semanas temos muitas novidades na Fênix Plantas e Jardins, portanto quando existe um feriado prolongado é mais importante que tenhamos nossa loja arrumada e repleta de muitas cores, aromas, texturas e tudo que a natureza pode oferecer...


Vaso de defesa, com 7 ervas que, na crença popular e de algumas religiões africanas, pode proteger sua casa, empresa ou escritório contra "olho-gordo" e "mal-olhado".
 
 
 
 
 
Linda peça para ornamentar o seu Jardim com todo o encanto das crianças, essas aí são jardineiras, já entendem do riscado... rsrs.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Trepadeiras: Primavera – Bougainvillea glabra

Nome Científico: Bougainvillea glabra
Nomes Populares: Primavera, Buganvile, Buganvília, Ceboleiro, Flor-de-papel, Pataguinha, Pau-de-roseira, Roseiro, Roseta, Santa-rita, Sempre-lustrosa, Três-marias
Família: Nyctaginaceae
Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Trepadeiras
Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
Origem: América do Sul, Brasil
Altura: 4.7 a 6.0 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

Bougainvillea glabra.

Trepadeira lenhosa, de florescimento abundante e espetacular. Sua folhas são pequenas, lisas, levemente alongadas e brilhantes, diferenciando-a da B. spectabilis. As flores são pequenas e projetadas, de coloração amarelo creme, envolvidas por brácteas róseas. Pode ser conduzida com arbusto, arvoreta, cerca-viva e como trepadeira, enfeitando com majestade pérgolas e caramanchões de estrutura forte.

Devem ser cultivadas em solo fértil, previamente preparado com adubos químicos ou orgânicos, sempre a pleno sol. Oriunda de sul do Brasil, de característica subtropical, ela suporta muito bem o frio e às geadas, vegetando bem em áreas de altitude também. Requer podas de formação e de manutenção anuais, para estimular o florescimento e renovar parte da folhagem. Multiplica-se por sementes, alporquia e estaquia.

Fonte: Jardineiro.net

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Crossandra - Perene à meia sombra.



Nome Científico: Crossandra infundibuliformis
Nomes Populares: Crossandra, Crossandra-laranja, Crossandra-salmão
Família: Acanthaceae
Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Flores Perenes
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Índia, Sri Lanka
Altura: 0.6 a 0.9 metros
Luminosidade: Meia Sombra
Ciclo de Vida: Perene

A crossandra é uma planta florífera, perene, ereta, de textura herbácea e porte arbustivo, alcançando de 30 a 90 centímetros de altura. Suas folhas são lanceoladas, opostas, glabras, com margens por vezes onduladas e de um verde intenso e brilhante. As flores surgem no outono e inverno, em longas inflorescências do tipo espiga, eretas, verdes e podem ser axilares ou terminais. O florescimento se inicia no ápice da inflorescência, com poucas flores desabrochando por vez. As flores são assimétricas, porém muito vistosas. Elas se apresentam em diferentes tonalidades de amarelo, salmão, rosa, laranja e até em um delicado tom de azul claro, de acordo com a cultivar.

No paisagismo, esta planta tropical de crescimento moderado pode ser utilizada como florífera perene ou como arbusto. Assim, é possível aproveitá-la em bordaduras, maciços, cercas vivas, conjuntos e até mesmo em vasos e jardineiras. O pinçamento ou beliscamento das mudas, estimula o adensamento da planta durante o crescimento, e as podas, realizadas após o florescimento, renovam a folhagem e dão o formato desejado.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, permeável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente. Mesmo tolerando o sol pleno, a crossandra aprecia mais a meia-sombra ou a luz filtrada. Apesar de perene, o florescimento e o vigor da planta decaem com a idade e é recomendável renovar os canteiros com mudas jovens a cada 3 ou 4 anos. Não resiste ao frio ou às geadas. As podas, realizadas após o florescimento, renovam a folhagem e dão o formato desejado ao arbusto. Multiplica-se por sementes e por estaquia.

Fonte: Jardineiro.net

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Manjericão: Aroma e simbolismo.

As folhas do manjericão apresentam sabor e aroma doce e picante característico.
Nome Científico: Ocimum basilicum

Nomes Populares: Manjericão, Alfavaca, Alfavaca-cheirosa, Alfavaca-de-jardim, Alfavaca-doce, Alfavaca-d’américa, Basilicão, Basílico, Erva-real, Manjericão-branco, Manjericão-de-folha-larga, Manjericão-de-molho, Manjericão-doce, Manjericão-grande

Família: Lamiaceae
Categoria: Ervas Condimentares, Medicinal, Plantas Hortícolas
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Índia
Altura: 0.4 a 0.6 metros, 0.6 a 0.9 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene
 

O manjericão é uma planta herbácea, aromática e medicinal, conhecida desde a antiguidade pelos indianos, gregos, egípcios e romanos. Ele é envolto de cultura espiritual e simbologismos, sendo, inclusive, considerado sagrada entre alguns povos hindus, por representar Tulasi, esposa do deus Vishnu. Está relacionado com sentimentos de ódio, amor e luto, mas com certeza é mais amplamente conhecido pelos seus poderes culinários.

Apresenta caule ereto e ramificado, e atinge cerca de 0,5 a 1 metro de altura. Suas folhas são delicadas, ovaladas, pubescentes e de cor verde-brilhante. As inflorescências são do tipo espiga e compostas por flores brancas, lilases ou avermelhadas. Sua polinização é cruzada e os frutos são do tipo aquênio, de coloração preto-azulada. Ocorrem mais de 60 variedades diferentes de manjericão, com variações na cor, tamanho e forma das folhas, porte da planta e concentração de aroma.

As folhas do manjericão apresentam sabor e aroma doce e picante característico. Elas são utilizadas secas ou frescas na preparação de diversos pratos quentes ou frios, e estão intimamente relacionadas à gastronomia italiana, onde são matéria prima principal de pestos e molhos. O manjericão combina-se perfeitamente com pratos que levam tomate, azeite, limão, carnes vermelhas, massas e queijos. Ele também é produzido em larga escala para a extração de óleo essencial, que é utilizado na indústria de alimentos, bebidas, perfumaria e outros produtos.

Deve-se cultivá-lo sob sol pleno, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Pode ser plantado em vasos, ou diretamente em canteiros adubados. Suas pequenas flores atraem abelhas e o lugar ideal para o plantio do manjericão é próximo a cozinha, onde ficará disponível ao cozinheiro. Não tolera frio, geadas ou calor excessivo. Aprecia o clima subtropical, tropical e mediterrâneo. Não suporta muitas colheitas subseqüentes, exigindo o replantio. Multiplica-se facilmente por estacas de ponteiro, postas a enraizar na primavera ou por sementes.

Fonte: Jardineiro.net

Na Fênix Plantas e Jardins você encontra mudas de Manjericão e muitas outras opções de temperos, tenha sua própria horta, onde poderá colher e utilizar diretamente em sua cozinha.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Lindo Arranjo de Bromélias.

Com um pouco de criatividade e algumas espécies diferentes de Bromélias, você pode montar um lindo arranjo.

 
 
Na família das Bromeliaceas existem espécies muito bonitas e exóticas, que se combinam entre sí e com plantas de outras famílias também.
 
 
 
Por exemplo, neste arranjo que montamos neste espaço, utilizamos vários tipo de Bromélias, objetos de decoração e algumas outras espécies de plantas.

Aqui na Fênix Plantas e Jardins você pode escolher as plantas e objetos, para tranquilamente você montar um belo arranjo em sua casa.